Destaque

Romeiro perde o comando da Prefeitura de Figueiredo para Jonas Castro pela segunda vez

A cidade de Presidente Figueiredo tem um novo prefeito. O presidente da Câmara Municipal, vereador Jonas Castro (PSB), assumiu nesta terça-feira (7) o comando da prefeitura do município da Região Metropolitana de Manaus.
A notificação do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas sobre a decisão do TSE que manteve a
cassação e determinou o afastamento imediato do prefeito e vice da cidade, Romero Mendonça e Mário Abrahão, levou Jonas Castro a assumir interinamente pela segunda vez a Prefeitura de Presidente Figueiredo.
Dia 28 de novembro do ano passado, o vereador também assumiu o comando do município depois da cassação dos mandatos de Romeiro Mendonça e Mário Abrahão, pelo Pleno do TRE-Am, mas oito dias depois, 6 de dezembro, Romeiro Mendonça reassumiu o cargo de prefeito de Presidente Figueiredo que lhe havia cassado por unanimidade o pleno do Tribunal Regional Eleitoral.
Uma liminar dando efeito suspensivo ao Recurso Especial, do desembargador Jorge Lins que, no
impedimento do presidente do TRE, desembargador João Simões e na ausência do vice Aristóteles Thury, lhe permitiu que retomasse, sem maiores delongas, o cargo de prefeito.
Mas, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luis Felipe Salomão, em decisão assinada no dia 03 de abril, cassou a liminar e decreta o imediato afastamento de Romeiro e vice-prefeito do município, Mário Jorge Bulbol Abrahão.
Além de afastar definitivamente Romeiro Mendonça do cargo de prefeito, Luis Felipe Salomão determinou uma nova eleição.
A data deverá ser designada pelo TRE/AM em função do atual quadro fático relativo ao coronavírus Covid-19.

Publicidade

Para Romeiro Mendonça derrubar a decisão do ministro Luis Felipe Salomão, que negou seguimento ao Recurso Especial, a defesa terá de impetrar um agravo interno e caso seja aceito será apreciado pelo Pleno do TSE.
Mas, ele também poderá ir direto ao Supremo Tribunal Federal. Pelo visto dessa vez Romeiro e Mário Abrahão poderão ficar mais tempo longe da prefeitura ou até mesmo não voltar mais.

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *