Destaque

Vereador Fransuá quer que seja proibido o uso da linha chilena por pipeiros em Manaus

Para assegurar a população manauara de acidentes causados por linha chilena e outros tipos de linhas cortantes, utilizadas para soltar pipas e papagaios, o vereador Fransuá (PV) apresentou à Mesa Diretora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o projeto nº 175/2020, que proíbe o uso, posse, fabricação e comercialização da linha chilena, e outros tipos de linhas cortantes, utilizadas para soltar pipas, bem como a importação da linha chilena industrializada. Esse tipo de material é obtido a partir da combinação de cola de madeira ou cola cianoacrilato com óxido de alumínio, carbeto de silício e quartzo moído ou qualquer produto ou substância de efeito cortante independente da aplicação ou não destes produtos nos fios ou linhas.

O documento apresentado pelo parlamentar inclui ainda que, se houver o descumprimento desta lei, o infrator deve ser responsabilizado e multado em vinte UFMs.

Fransuá frisa que não quer que seja proibido a prática de soltar pipas, que ele considera, inclusive, uma ótima maneira de socialização, principalmente para os jovens, mas ressalta, que como em qualquer atividade ou prática de esporte, deve e precisa haver regras.

“Não sou contra a brincadeira de papagaio ou pipa. Ao contrário, quando criança, era uma das minhas brincadeiras favoritas. Acredito que é ótima para socialização de jovens, além de ser uma prática ótima para melhoria de reflexos e coordenação motora. O que não pode é usar as linhas cortantes, principalmente a chilena, extremamente cortante. Essa pode levar a óbito ou lesões irreversíveis”, destaca o vereador.

Publicidade

No Amazonas, soltar pipas ou papagaio pode ser considerada uma brincadeira divertida para jovens e adultos. No entanto, essa prática só é recomendada em locais onde não haja rede elétrica, nem vias de tráfego, para evitar que aconteçam acidentes, como ocorreu na última sexta-feira (29/05), quando uma mulher foi ferida por uma linha de pipa com cerol. Mesmo com o socorro imediato a vítima não resistiu ao corte no pescoço. Infelizmente, até o momento, o responsável pela linha com cerol que resultou na morte da frentista não foi identificado. Mas existem regras para que a brincadeira seja considerada saudável e segura para todos e agora deve virar lei.

“O que queremos é evitar acidentes, como neste caso onde a moça que conduzia uma motocicleta a caminho do trabalho foi atingida de maneira fatal. Esse caso foi na zona Norte de Manaus, mas sabemos que é comum a prática de soltar pipas e papagaios em todos os bairros de Manaus. E com a chegada do verão a demanda de pipeiros aumenta mais ainda. Logo, as medidas preventivas devem ser adotadas o quanto antes, para que todos possamos ter a diversão garantida e sem acidentes”.

 Texto: Conceição Melquíades – Assessora do Vereador Fransuá

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *