Polícia

Homem é executado em Manaus por pistoleiros quando saia para cortar o cabelo

Com vários tiros à queima-roupa, um homem foi executado na noite desta quarta-feira (9), na rua Porangatu, no bairro Redenção, na zona Centro-Oeste de Manaus. A vítima foi identificada como Moacir Batista Costa Júnior, 27, vulgo “Marlon”, tinha envolvimento com o tráfico de drogas e facção criminosa.

Segundo relatos de testemunhas, Moacir estava saindo de casa para cortar cabelo, quando foi surpreendido por ocupantes de um carro Gol, de cor preta. Ao perceber os suspeitos, Moacir retornou para casa na tentativa de escapar, mas o imóvel foi invadido por dois homens encapuzados, que efetuaram os disparos.

Em seguida, os criminosos fugiram sentido ignorado. Entretanto, câmeras de segurança fixadas em imóveis da região registraram a movimentação do veículo e as imagens devem ser solicitadas pela Polícia Civil para ajudar na identificação dos autores apontados como membros de uma facção criminosa rival.

Conforme informações da perícia criminal, do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), Moacir foi atingido com 15 tiros, sendo a maioria na cabeça. A vítima ainda tropeçou antes de ser alvejada por tiros de calibre 380 milímetros e ponto 40.

Moacir tinha envolvimento com o tráfico de drogas e era monitorado por tornozeleira eletrônica. No local, a polícia apurou que Moacir era membro da facção criminosa Comando Vermelho (CV) e responsável pelas bocas de fumo da área. O líder dele havia sido preso na terça-feira (08).

Publicidade

À polícia, os familiares confirmaram que Moacir estava sendo ameaçado de morte por ex-parceiros do tráfico. Este foi o segundo assassinato na família. No dia 10 de fevereiro deste ano, Adriano Garcia Moreira, 22, irmão de criação de Moacir, foi executado no mesmo local com vários tiros.

O assassinato de Adriano foi motivado por ajustes de contas relacionado ao tráfico e até hoje os autores não foram presos. A polícia suspeita que traficantes rivais estão tentando assumir os pontos de drogas da região.

O corpo de Moacir foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) e o caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *