Meio ambiente

Vazante prejudica fornecimento de energia elétrica e Amazonas Energia fala sobre situação do estado

MANAUS (AM) – A seca extrema no Amazonas tem impactado em vários setores e um dos principais, o fornecimento de energia elétrica, é um dos mais importantes. A concessionária Amazonas Energia informou que nesta terça-feira (10) vai falar sobre os efeitos da vazante e o estoque de diesel responsável pelo funcionamento das termoelétricas.

O combustível é usado para abastecer as termelétricas em vários municípios e agora demora até um mês para chegar. Antes, o percurso durava 20 dias aproximadamente, como em Benjamin Constant, o primeiro a ser afetado pela estiagem e vazante extrema dos rios Javari e Solimões. Com isso, muitos municípios já estão ficando sem energia.

Mensalmente, a concessionária abastece as termoelétricas das localidades de Auxiliadora, Axinim, Sucunduri, Itapiranga, Rio Preto da Eva, Silves, Camaruã e Jacaré com até 3.519.000 litros de diesel, quantidade suficiente para gerar energia durante esse período e atender a população. No entanto, parece que não tem sido suficiente.

“A concessionária leva o diesel de Manaus porque o custo é menor. Se fosse adquiri-lo nas cidades próximas, o gasto iria duplicar, correndo risco de não encontrar o produto na quantidade necessária. Com a descida das águas, demora mais tempo o transporte. Se houver aumento de consumo neste período, o que deve ocorrer pelo calor excessivo, é possível que não consigamos suprir a demanda a tempo de evitar um racionamento”, declarou o diretor de Relações Institucionais, Radyr Gomes, há um mês atrás.

Publicidade

Agora, a Amazonas Energia deve atualizar os detalhes da situação para os amazonenses, informando ainda quais medidas estão sendo tomadas para evitar o desabastecimento. Outro ponto que também deve ser debatido é a constante falta de energia em Manaus, principalmente nessa época quando as temperaturas altíssimas geram uma sobrecarga causada pelo alto consumo.

A coletiva será às 9h e mais informações serão detalhadas posteriormente.

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *