Anestesista detido por estupro teria sedado grávida sete vezes

O inquérito ao caso do anestesista detido por estuprar uma grávida durante uma cesariana, no Rio de Janeiro, revela que o médico pode ter sedado a vítima sete vezes durante o crime e que os abusos começaram 50 segundos depois de o marido da mulher deixar a sala de parto, de acordo com o G1.

A investigação, com base no vídeo que capta o estupro, mostra que o médico, Giovanni Quintella Bezerra, aplicou medicação – provável sedação – sete vezes na vítima.

Além disso, o exame ao material usado pelo médico para se limpar após o estupro deu negativo para a presença de sémen, no entanto, o inquérito indica que o material passou por diferentes recipientes e, por isso, não foi possível garantir a sua integridade.

O tempo total do crime foi de 9 minutos e 5 segundos e o vídeo tem a duração total de 1 hora, 36 minutos e 20 segundos.

É de realçar que, no inquérito, que foi enviado para o Ministério Público (MP) ontem, foram ouvidas 19 pessoas. Ainda antes de o inquérito ser concluído, o MP entendeu que havia elementos suficientes para indiciar Giovanni Quintella Bezerra por estupro.

O anestesista foi detido no dia 11 de julhoNMBR. O crime foi filmado por uma equipe de enfermeiras, que desconfiou do comportamento do médico durante os dois primeiros partos e decidiu filmar o terceiro com um celular escondido. 

Outros casos estão sendo investigados.

fonte: Notícias ao minuto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *