Detenta trans engravida duas colegas de cela no EUA

Assim como no Brasil, alguns estados dos EUA permitem que mulheres transgênero possam decidir se querem ficar em penitenciárias masculinas ou femininas. A decisão foi tomada pelo ministro Luís Roberto Barroso, em março do ano passado, após uma ação movida pela Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT).

Em Nova Jersey, nos Estados Unidos, uma mulher trans que engravidou duas mulheres colegas de cela em uma prisão foi transferida para uma penitenciária masculina. 

O Departamento Correcional de Nova Jersey confirmou, em abril deste ano,  que duas detentas da Prisão Correcional Edna Mahan ficaram grávidas depois de ter “relações sexuais consensuais com outra pessoa encarcerada”.

A prisioneira transgênero foi transferida para a Garden State Youth Correctional Facility, uma prisão para jovens infratores adultos e do sexo masculino.

Demi Minor, 27 de anos, foi colocada em Edna Mahan depois que Nova Jersey promulgou uma política em 2021 permitindo que os prisioneiros fossem colocados em instalações de acordo com a identidade de gênero que se identifica, informou o New York Post.

Os presos podem fornecer a identidade de gênero a qualquer momento, durante o encarceramento, de acordo com a política.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *