Governo do Amazonas afasta policial envolvida em agressão a jornalista – Baixaria vice governador

O Governo do Amazonas, por meio da Casa Militar, determinou o afastamento da sargento da Polícia Militar, Michele Welche Silva Lobo, que integra a equipe de segurança do vice-governador Carlos Almeida, e que se envolveu em agressão a uma jornalista durante encontro de Almeida com profissionais de imprensa, nesta quarta-feira (28/10).

A determinação é para que seja aberto processo administrativo para a devida apuração dos fatos e adoção de medidas cabíveis. O Governo do Amazonas ressalta que preza pela liberdade de imprensa e a correta postura dos seus servidores.

Agressões e descompensamento do vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida (sem partido), marcaram entrevista coletiva nesta quarta-feira, 28. O tumulto ocorreu quando os assessores de Almeida, que não respondeu questionamento da imprensa, teriam agredido as jornalistas Cinthia Blynk e Rosiene Carvalho após as mesmas o confrontarem sobre as investigações de fraudes e desvio de recursos na Saúde do Amazonas.

A jornalista Cinthya Blink afirmou que foi ferida com um arranhão no braço direito e criticou a forma como a coletiva foi conduzida. “Somos jornalistas e, se vamos meio-dia para a pauta, é óbvio que queremos fazer perguntas. Não existe a possibilidade de nos proibir de fazer pergunta”, disse.

Ainda segundo Cinthya Blink, os profissionais foram acolhidos em uma sala pequena, considerando a grande quantidade de pessoas presentes e a pandemia de Covid-19. “Reclamei após anunciarem que não poderiam fazer perguntas e me posicionei mais próximo possível de onde ele iria passar”, detalhou.

Assista ao vídeo das agressões:

Nas imagens, divulgadas na internet, quando o vice-governador encerrou o pronunciamento e se deslocou para a saída, surge uma mulher loira, que faz parte da equipe dele. Ainda não identificada, a mulher teria empurrado os profissionais, fazendo barreira com os braços para que ninguém ultrapassasse.

“Ela bateu em outras pessoas também, só que as câmeras estavam para o Carlos Almeida. Tem um vídeo que mostra a mulher levantando a mão, ameaçando que vai bater na Rose, é quando nos aproximamos para protegê-la. A assessoria pega o braço da Rose com força, está gravado. Tudo filmado”, esclareceu Cinthia Blynk.

De acordo com a jornalista Cinthia Blynk, a assessora de Carlos Almeida apresentava um comportamento agressivo desde antes do início da coletiva. “Quando ela entra para uma sala, também entra o Carlos Almeida. Lá tinha um fotógrafo ou um câmera que está filmando toda a situação e filma a mulher, que bate na mão dele, fazendo um movimento para não filmar”, salientou.

Descompensamento por acusações

Depoimentos, conversas em aplicativos e documentos levantados pela Polícia Federal (PF) e a Procuradoria-Geral da República (PGR) revelam que as relações – pessoal e institucional – entre o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e seu vice, Carlos Almeida (sem partido), ruíram em março deste ano, antes do ápice da pandemia do novo coronavírus no Amazonas. Wilson rompeu com Carlos após perceber que o vice tentava fazê-lo perder a governabilidade.

A constatação veio à tona no depoimento do próprio vice-governador à Polícia Federal e na conclusão prévia da PGR, arquivos que compõem o processo da Operação Sangria, deflagrada este ano para investigar suspeitas de superfaturamento de respiradores para atender pacientes pelo valor total de R$ 2,9 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *