Investigação da PF mostra que garimpeiros pagaram propina em dinheiro e ouro no interior da prefeitura de Jutaí, AM

A Polícia Federal (PF) descobriu que garimpeiros pagaram propina no interior da secretaria municipal de Meio Ambiente de Jutaí, no Amazonas para manterem a prática ilegal na região.

A propina era paga em ouro ou dinheiro. O grupo acreditava que assim manteria a fiscalização afastada.

De acordo com as investigações da PF, alguns garimpeiros queriam pagar propina ao prefeito Pedro Macario Barboza enquanto outros destinavam o pagamento à secretaria de Meio Ambiente.

A descoberta aconteceu durante as investigações da operação Uiara III, deflagrada na manhã desta quarta-feira (20), no Amazonas.

Segundo o blog apurou, a irmã do prefeito foi presa em flagrante, nesta manhã, por estar de posse de ouro e R$ 40 mil em dinheiro.

O prefeito de Jutaí, Pedro Macario Barboza, foi afastado por decisão da Justiça.

A PF suspeita que Barboza tenha a sua própria draga para retirar ouro do rio e lucrar com o garimpo ilegal.

Em novembro de 2021, o prefeito foi preso pela polícia com 200 gramas de ouro no aeroporto de Tefé quando tentava embarcar com destino a Manaus.

De acordo com a PF, toda a atividade de extração de minério na região é ilegal.

fonte,G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *