Mais de 400 unidades de ensino da Prefeitura de Manaus abrem as portas para o início das aulas híbridas

A Prefeitura de Manaus reabriu as portas de mais de 400 escolas da Secretaria Municipal de Educação (Semed) nesta segunda-feira, 31/5, para o início das aulas híbridas. O secretário municipal de Educação, Pauderney Avelino, acompanhou de perto o retorno e visitou o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Olavo Bilac, na zona Centro-Sul, e a escola municipal Áureo Nonato, na zona Norte.

O secretário, que conversou com alunos, professores e familiares, ressaltou os cuidados que a prefeitura adotou para o retorno e sobre a necessidade em vencer esse momento ainda muito difícil.

“A volta das crianças é como se fosse uma vitória sobre esse momento que ainda estamos passando, mas que, com as aulas híbridas, nos trará a sensação de normalidade. As escolas estão prontas para receber metade dos alunos em dias alternados, com todos os cuidados possíveis, de acordo com as orientações do prefeito David Almeida. As unidades que não ficaram prontas para o retorno, assim que estiverem, também voltarão”, afirmou Pauderney

De acordo com a gestora do Cmei Olavo Bilac, Ellen dos Santos, a unidade atende 510 crianças, de 4 e 5 anos, no 1º e 2º períodos, e para o retorno houve toda uma preparação com a comunidade escolar e familiares.

“Antes do retorno, nós fizemos uma maratona de reuniões com os pais, instruindo e informando sobre o protocolo de segurança durante as aulas presenciais, com divisão das turmas de segunda a quinta-feira, sendo a sexta-feira reservada para o atendimento aos pais e de estudo dos professores. Alguns responsáveis que não se sentem seguros com o retorno assinaram um termo de responsabilidade e continuarão com os estudos remotos”, explicou a gestora.

A auxiliar administrativa Alice Góes, mãe da pequena Melissa, 5, do 2º período, está muito satisfeita e tranquila com a volta às aulas.

“Eu me sinto muito segura para a minha filha voltar a estudar, vi que aqui tem todas as medidas protetivas contra a Covid-19. Quando soubemos do retorno, ficamos com um pouco de medo, mas a minha filha disse que queria voltar, que queria estudar, ver os amiguinhos na escola. Na prática, eu acredito que a aprendizagem é bem melhor para as crianças”, disse a mãe.

Já a professor Ariadne Gall disse que vive uma mistura de sentimentos, que envolve o retorno e o cuidado com as crianças. “Como educadora, é muito melhor estar com a criança na sala de aula, orientando todos os dias, além da necessidade da socialização entre eles.  Em casa, muitas vezes são filhos únicos, ou os pais não têm tempo para se dedicar nos estudos das crianças. A minha preocupação é com as crianças, mas elas estão bem treinadas, sabem dos cuidados, do uso da máscara, de manter a distância dos amiguinhos, e nesse primeiro dia seguiram todas as regras”, comentou a educadora.

O aluno David de Souza, 5, aluno da professora Ariadne, disse que os estudos em casa foram bons, mas que estava com saudade da escola. “A mamãe me ensinou um monte de coisa, aprendi os números e as letras, mas eu já queria muito voltar para a minha escola, estava com saudade dos meus amigos, mas eu sei que não posso ficar abraçando, tenho que usar álcool em gel e a máscara”, disse o estudante.

O retorno

O retorno de forma híbrida inclui atividades remotas e presenciais. Por determinação do prefeito David Almeida, as escolas receberam manutenção na infraestrutura e materiais de sinalização com orientações sobre as medidas de proteção contra a Covid-19, totens com álcool em gel e termômetro. As unidades seguirão todas as recomendações de segurança dos órgãos de saúde.

Até o momento, aproximadamente 15 mil trabalhadores da rede municipal de ensino já receberam a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. Destes, 5 mil já tomaram a segunda dose do imunizante.

— — —

Texto – Érica Marinho / Semed

Fotos – Alex Pazuello / Semed e João Viana / Semcom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale conosco!