Polícia prende homem que alegou armazenar pornografia infantil para ‘apimentar’ casamento

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, nesta quarta-feira (13), dois homens suspeitos de armazenar pornografia infantil. Um deles, de 36 anos, foi localizado em Samambaia e disse aos policiais que usava o material criminoso para “apimentar” o casamento (veja mais abaixo). Ele acabou liberado após pagar fiança.

Já o segundo preso, de 44 anos, é um fotógrafo de sites adultos e, com ele, os policiais encontraram 43,4 gigabytes de pornografia infantil. As ações foram realizadas pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), da Polícia Civil do DF, e fazem parte da operação Acalento, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), que termina nesta quarta.

A iniciativa teve início no dia 13 de junho, em todo o país, e até o início desta manhã, prendeu 1.040 pessoas suspeitas de crimes contra crianças e adolescentes. No período, mais de 12 mil menores de idade receberam assistência, segundo o MJSP.

Prisões no DF

No caso de Samambaia, segundo a Polícia Civil, o suspeito foi preso por armazenar imagens de abusos sexuais infantis. “No local, foi encontrada muita pornografia em geral. O homem disse aos policiais que percebia que recebia muitos arquivos de pornografia dita infantil”, afirma a corporação.

De acordo com os investigadores, o suspeito disse ainda que já teve contas na internet bloqueadas por armazenar esses arquivos. A investigação contou com apoio do Serviço de Repressão a Crimes de Ódio e Pornografia Infantil (Sercopi/DRCC), da Polícia Federal.

Já o suspeito preso em Sobradinho negou os crimes. Apesar da grande quantidade de pornografia infantil encontrada com ele, o homem alegou que o material veio de downloads aleatórios.

No entanto, de acordo com a Polícia Civil, os agentes constataram que ele participava de diversos grupos de pornografia infantil.

fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *